O treinamento é tanto uma oportunidade para o desenvolvimento das pessoas quanto uma ferramenta da gestão organizacional.
No entanto o treinamento não produz câmbios por si mesmos, gera as condições para que estes ocorram, tanto nas organizações quanto nas pessoas que as integram.
Acreditamos que os programas de treinamento, para produzir esses câmbios, devem ter as seguintes características:
Responder às necessidades únicas de cada uma das pessoas em seu contexto organizacional.
Promover a participação e a interação, permitindo que o papel do instrutor não se limite ao discurso teórico.

Motivar ao adulto pondo ênfase na utilidade da aprendizagem no entorno de sua tarefa.
Ensinar-aprender, sempre com o acompanhamento de um tutor, com o objetivo de receber não somente habilidades técnicas, mas também estratégias de pensamento associadas à prática.

Estes programas de treinamento garantem que os conhecimentos se transformem em habilidades que não possam ser esquecidas, relevantes para a tarefa e úteis para a resolução de problemas: um conteúdo valioso para as pessoas que trabalham, para as organizações nas quais se desempenham e para as comunidades nas quais residem.